Formulário de Cadastro no Topo

Você está usando o poder do Gatilho Mental da História?



Esta semana fizemos um Webinar para os assinantes do Método 3R e durante a palestra eu estava falando sobre o Gatilho Mental da História e contei uma parte do que passei até me tornar um empreendedor, aí lembrei que havia escrito este texto no Facebook e resolvi compartilhar ele aqui pelo blog também (logo abaixo). :-)


A sua história de vida, seus desafios e superação são importantes para criar empatia e conexão (Rapport) com seus prospectos. (praticamente todos nós temos desafios a superar, uns mais outros menos, mas todos temos)

Muitas vezes temos medo ou vergonha de compartilhar essa história e no fundo, ela é um prato cheio para gerar o Rapport entre você e seu prospecto, afinal, mostrar que você também passou por dificuldades e conseguiu superar, é uma das melhores formas de ganhar a atenção e a confiança das pessoas.

Desde que, claro, você conte a verdade e faça isso de forma honesta.

Durante um atendimento, experimente ouvir seu cliente, as histórias que ele tem para contar e depois, sendo possível, conte um resumo do que você também passou até chegar no momento atual.

Essa conexão que é gerada durante a história, gera o Rapport que é um dos argumentos de persuasão mais fortes que existem (comprovados por estudos e testes de P.N.L.)

Para não alongarmos muito, vamos para o texto que postei há algum tempo no meu perfil pessoal do Facebook, se você tem uma história para contar, não tenha medo, conte-a também... :-)

Quem sabe essa história serve de referência para algum jovem que está em dúvida se vale ou não a pena empreender.

Tenho certeza que você que está lendo também tem uma bela história para contar, se sentir o desejo, fique a vontade para contá-la nos comentários abaixo. :-)


Vamos à História:

Mais ou menos pelo final do mês de março de 1999, eu chegava em Piraí do Sul - PR, com 19 anos, ia apenas cobrir as férias de uma instrutora de informática em uma "escolinha" da cidade...

Eu tinha acabado de sair do Exército e devido a crise, idêntica a de hoje, a vaga para Tenente que abriria e seria minha mudança de vida, havia sido cortada pelo governo daquela época.

A previsão era que eu ficasse em Piraí do Sul uns 30 dias e retornasse para Castro, provavelmente desempregado... (Castro (70 mil habitantes) é minha cidade natal, ao lado de Piraí do Sul (24 mil habitantes))

No entanto, a escolinha foi vendida e eu acabei ficando mais um pouco com o novo proprietário, ele comprou, mas ia mudar toda a estrutura para Castro - PR, afinal, "Piraí não tinha mais mercado".

Segundo ele, o mercado estava ruim, já tinham cursos gratuitos nos colégios, concorrência cobrando muito barato, a crise estava feia... algo em comum como o momento atual?  :-)

Foi quando eu falei:

Cara, não feche em Piraí, eu compro de você, não tenho todo o dinheiro, apenas um pouco que juntei no exército, mas eu dou um jeito, você parcela, eu pago os juros, eu me viro, não quero ficar desempregado de novo...

Ele respondeu:

Não recomendo você comprar, Piraí é muito pequena, quem tinha que fazer curso já fez, não tem mais mercado, mas, se você realmente quiser, eu parcelo pra vc...

Se você não conseguir pagar, aí eu fecho e levo tudo para Castro...

Aquela noite não consegui dormir, fiquei pensando na possibilidade de me endividar com apenas 19 anos, sem experiência alguma como empreendedor.

Nos outros dias conversei com algumas pessoas mais experientes e praticamente todas falavam a mesma coisa:

Não compre, em Piraí nada vai pra frente...
Não compre, volte pra Castro que lá é mais fácil encontrar um bom emprego...
Não compre, Piraí é muito pequena, quem vai querer fazer curso aqui?
Já viu quantas escolas dessa já abriram e fecharam? Não seja louco!

Passei mais algumas noites em claro, até que chegou o dia da decisão...

Ou eu comprava a escolinha falida e em uma cidade que provavelmente o mercado tinha acabado, ou voltava pra Castro e ficava desempregado... 

O que você faria?

Pensei, pensei e cheguei a seguinte conclusão:

1) Minha família me ensinou e honrar a palavra e ser honesto
2) O Exército me ensinou que missão dada, é missão cumprida
3) E a vida, bom, nesses 19 anos, a vida já tinha me ensinado:

a) O que é a pobreza durante a infância e a adolescência

b) O que é crescer longe do pai e ter que aprender a se virar e se defender sozinho, desde os três anos.

c) O que é se sentir sozinho, porque sua mãe precisava trabalhar de sol a sol como doméstica pra colocar o feijão na mesa

d) O que é ter vontade de comer um chocolate e não ter dinheiro pra comprar

e) O que é querer comer carne em um fim de semana e ter que ficar na vontade

f) O que é ver Coca Cola só na televisão (televisão dos vizinhos)

g) Na adolescência, o que é querer ter uma namorada, mas ter vergonha de não poder nem tomar um sorvete com ela

h) O que é querer ir em um “sarau” com os amigos, mas, não ter o dinheiro da entrada, muito menos de uma cervejinha pra alegrar a noite.

i) Depois, o que é a dor das costas ao colher feijão na roça ou de carpir uma roça de toco em um dia de sol quente (sim, eu fiz isso)

j) O que é o sol escaldante de quem trabalha como ajudante de pedreiro

k) O que é a dor nos braços de quem pinta um forro e as paredes de uma casa

l) O que é a dor nos ombros de passar um dia inteiro carregando abóboras em um caminhão

m) O que é ouvir “NÃO” ao pedir emprego em mais de 50 empresas

n) O que é virar madrugadas e finais de semana estudando, procurando ser um excelente aluno na escola, na esperança de mudar de vida através desse esforço.

o) O que é virar madrugadas e finais de semana estudando e treinando para ser o "01" da turma na maior parte do curso do Exército e mesmo assim, perder a vaga por culpa da crise do governo.

p) O que é crescer com amigos que viraram viciados em drogas, outros foram presos por diversos crimes, outros mortos, ter todas as chances possíveis para seguir caminhos errados e mesmo assim se manter na linha.

p) E apesar de tudo isso, aprender a ser feliz, sempre agradecer ao invés de reclamar e não deixar jamais de manter um sorrisão na cara todos os dias.

Bom, depois de pensar em tudo isso, não tive mais nenhuma dúvida, assumi a responsabilidade e comprei a "escolinha"...

Eu não tinha dinheiro, não tinha experiência, na verdade, eu só tinha uma bicicleta, era meu único patrimônio, mas fora isso...

... eu tinha uma vontade gigantesca de mudar de vida...

Eu tinha um sonho e meu amigo, quando você tem um sonho, não há conselho, nem passado, nem crise que tire isso de você...

Eu comprei a escolinha, passei noites em claro, virei madrugadas trabalhando, eu chorei, eu me endividei, eu me preocupei...

Precisei aprender tudo na prática, mais uma vez era a vida me ensinando...

... pensei em desistir algumas vezes, mas quando eu pensava nisso, eu revia a lista de lições que a vida havia me dado...

E aí tudo parecia mais fácil e a vontade de continuar dominava tudo de novo...

E o mercado que havia "acabado" lá em 1999 se renova a cada dia e me prova que não existe fim de mercado, existe evolução do mercado e nós precisamos acompanhar... 

Bom, espero que esta história seja útil, principalmente para você, jovem, que hoje está em dúvida sobre o futuro...

Se você tem um sonho, fique firme, a vida vai te bater e ela bate forte, mas ela bate pra te ensinar a suportar a pressão...

... e quando você aprende a suportar, nada mais te abala, os problemas que para muitos são motivos de desistência, para você serão apenas mais um pequeno detalhe pra resolver...


Pra fechar, fica estes conselhos:

- Acredite, empreenda, comece do zero se for preciso, prepare-se para a pressão

- Aprenda vender, seja cara de pau, aprenda ouvir 1000 nãos, o 1001 vai ser um sim

- Não dê ouvidos aos pessimistas, leia boas histórias e tenha bons exemplos

- Estude e aprenda algo novo todos os dias

- Sonhe alto sem medo, livre-se de dogmas (ter dinheiro não te torna maldoso, nem ser pobre te torna um coitadinho)

- Sempre que possível, ajude alguém a conquistar seus objetivos, isso fará de você uma pessoa mais feliz.

- Não dê desculpas, deixe de lado o vitimismo, o imposto, a crise, o político corrupto, tudo isso são desafios que são superados pelo teu esforço e insistência...

- Não se compare e não ache que é melhor ou pior que ninguém, você é único e é 100% responsável por tudo o que acontece na sua vida, não terceirize as responsabilidades, assuma-as.

- Se for para comparar, compare apenas o "você ontem" com o "você hoje", procure sempre ser hoje, melhor do que você foi ontem, esse é um dos segredos do sucesso.

- Não sofra pelo passado, nem pelo futuro, esses dois tempos não existem, são apenas fruto da sua imaginação, viva o hoje, procurando fazer sempre o seu melhor em tudo o que faz.

-------------------------------------------------------------------------------------------------

Então, para fecharmos o artigo:

É por isso que eu faço o que faço hoje, é por isso que eu escrevo para você, que eu viro madrugadas estudando, lendo e planejando formas de melhorar a cada dia os nossos negócios... 

É porque eu amo o que faço e entendo exatamente as dificuldades que muitos passam na busca constante de mudar de vida... :-)

E qual é a sua história?

Eu e os seguidores do blog, com certeza vamos adorar conhecê-la. 

Fique a vontade para compartilhá-la aqui nos comentários. :-)

Um forte abraço e muito sucesso na sua caminhada.

Elias Fernando
Autor do Blog








Comente com o Facebook:

Um comentário:


Layout exclusivo do blog - Fazendo Certo | Feito por: Alice Grunewald | Tecnologia do Blogger | Cópia total ou parcial é proíbida ©